Adaptar apartamento para criança: cuidados e o que não pode faltar

Garantir a segurança dos filhos é sempre uma preocupação para as famílias. Por isso, adaptar o apartamento para criança pode ser a solução.

O maior desejo dos pais é que seus filhos cresçam saudáveis ​​e felizes. Nesse contexto, a segurança é a maior aliada da família para a concretização desse sonho. O lar é um santuário de muitas maneiras, mas se não for cuidado, pode ser uma grande fonte de acidentes para as crianças. Assim, é preciso adaptar apartamento para criança.

Neste artigo, mostraremos como tomar medidas em casa para manter seu bebê seguro, transformando seu apartamento em um local de alta segurança. Reunimos dicas para transformar móveis e ambientes, além de acessórios seguros para bebês e crianças.

A importância dessas medidas pode ser avaliada com base em dados. De acordo com a Academia Brasileira de Pediatria, ocorrem cerca de 200 mil acidentes domésticos envolvendo crianças a cada ano no Brasil, como queimaduras, quedas e afogamentos. Durante as férias escolares, a taxa aumentou 25%. A seguir, veja como preparar sua casa para evitar surpresas.

A importância de adaptar apartamento para criança

Não é difícil imaginar como é difícil para todos enfrentar o "mundo real" nos estágios iniciais após o nascimento. Afinal, até então, conhecíamos apenas a segurança do corpo da mãe, onde estávamos protegidos de todo mal.

Embora longe de ser o mesmo, a casa pode desempenhar um papel importante para que seu bebê se sinta seguro e confiante ao crescer. Para ajudar nesse desenvolvimento, os pais são aconselhados a fazer algumas mudanças para transformar a casa em um espaço "à prova de bebês":

1) Instale telas de proteção em todas as janelas do apartamento;

2) Móveis pesados, como estantes, devem ser fixados à parede, para evitar que caiam sobre a criança caso ela decida escalar o móvel enquanto ninguém está olhando;

3) Recolha cabos e fios, sejam elétricos ou a corda da persiana, por exemplo, pois podem gerar acidentes de sufocamento;

4) Tire todos os móveis de perto das janelas, para evitar quedas;

5) Se tiver tapetes em algum ambiente, fixe-os com fita adesiva de alta aderência para que ninguém escorregue.

Bebê em apartamento: como adaptar a casa

Além das mudanças mais estruturais que mencionamos, existem outras medidas interessantes para manter seu apartamento o mais seguro possível. Os acessórios de segurança para bebês são grandes aliados no combate a acidentes, e muitas vezes são baratos e duráveis. Confira os tipos mais comuns:

Grades

Portões de segurança devem ser instalados no topo e na base das escadas e corrimão. Se a escada for aberta, instale redes de proteção ao longo de toda a extensão. As grades também podem ser colocadas na entrada do banheiro.

Protetor de tomadas

Todas as tomadas que não estiverem em uso devem ser cobertas com um protetor, para evitar que a criança ponha os dedos e seja vítima de um choque elétrico.

Travas para armários e gavetas

Um dos acidentes domésticos mais comuns acontece quando a criança prende os dedos nas portas ou nos armários. Há travas específicas para cada objeto, que podem ser encontradas em lojas de materiais para casa.

Protetor de quinas

O ideal é escolher móveis arredondados para o quarto do bebê. Mas no restante do apartamento, você pode instalar protetores em todas as quinas dos móveis, evitando que a criança bata a cabeça ou se corte.

Protetor de sanitários

Além da grade de proteção, outra medida para segurança infantil no banheiro é utilizar uma trava para a privada. Isso impede que a criança tenha contato com a água do vaso sanitário e, em casos extremos, seja vítima de afogamento.

Protetor de dedos

Instalado próximo à maçaneta das portas, esse protetor impede que a porta se feche e, consequentemente, que o bebê prenda alguma parte do corpo.

Produtos de limpeza no alto

Organize todos os medicamentos em uma caixa e coloque-os em espaços que crianças pequenas não tenham acesso, como armários e prateleiras altas. Assim como os produtos de limpeza, a curiosidade pode levá-los a ingerir essas substâncias e causar infecções graves. Se o armazenamento alto não for possível, use uma trava no gabinete.

Antiderrapantes

Para proteger as crianças de escorregões, é possível adquirir tapetes com a função antiderrapante — em especial para o banheiro, que muitas vezes fica com o piso molhado. Se o tapete não tiver a função antiderrapante, é melhor nem usá-lo!

Como já explicamos, o uso desses acessórios de segurança pode evitar que as mãos e os dedos das crianças fiquem presos nas portas e gavetas, sejam vítimas de eletrocussão, evitando a exposição a produtos químicos (como para limpeza) ou até mesmo que se afogue no vaso sanitário.

É sempre importante lembrar que a cozinha é o melhor ambiente para acidentes em casa. São eles: quedas (por causa do piso), queimaduras (por causa do fogão/forno), intoxicações (produtos de limpeza), eletrocussão (tomadas e fios desprotegidos), asfixia e inalação de objetos estranhos (por exemplo, grãos) e afogamento (baldes, pias).

Portanto, os pais devem ter atenção redobrada ao cozinhar quando houver crianças pequenas por perto. Lembre-se de virar o cabo da panela para dentro e manter facas e outros objetos pontiagudos fora do alcance das crianças.

Crianças e noção de segurança

A responsabilidade pela segurança das crianças recai sempre sobre os pais. Mas você pode (e deve) ensinar seus filhos a cuidarem de si mesmos e da própria segurança desde cedo.

Um bom exemplo é mostrar como subir e descer escadas, sempre segurando o corrimão. Como mencionamos, a cozinha é o espaço onde a maioria dos acidentes domésticos acontecem, por isso são necessárias várias demonstrações do que deve ser feito.

Os pais podem até citar os acidentes mais comuns como se fossem os vilões que as crianças tiveram que vencer para deixar o momento mais interessante. A ideia é contar para as crianças, não assustá-las.

Adaptar apartamento para criança: é possível aliar segurança com conforto e praticidade

Remodelar uma casa para receber uma criança não significa esquecer o design. As soluções incluem o uso de materiais duráveis ​​que aliam conforto à praticidade, mas que proporcionem estética ao ambiente.

Em termos de praticidade, é interessante que as famílias considerem a limpeza de superfícies. Problemas de alergia causados ​​pela poeira são comuns em crianças, como rinite e bronquite. Por isso, escolha materiais fáceis de limpar, como pisos e rodapés laváveis, móveis que não tenham muitos vãos, tapetes e cortinas impermeáveis ​​e estofados feitos com tecidos impermeáveis ​​ou de fácil manutenção.

Também é importante ter em mente o conforto térmico e o conforto acústico. As crianças passam muito tempo sentadas no chão e, em dias frios, pisos frios podem causar desconforto. Escolha revestimentos quentes, como vinil fácil de colocar, para áreas de lazer e visualização de TV. Os tapetes antiderrapantes também evitam escorregões e tropeções.

Criar um espaço só para as crianças pode ajudar

Não se iluda: crianças se espalham pela casa. Mas é possível criar espaços mais atraentes e específicos para elas. A começar pelo quarto de dormir. 

Quando o quarto é criado para um bebê, existem as regras básicas: berço adaptável para cada etapa do crescimento, evitar almofadas e cordões que possam provocar sufocamento, ter uma poltrona confortável para amamentação, iluminação com dimmer para controle de intensidade, arandelas ou abajur, evitar objetos que possam provocar quedas ou trombadas da mãe com seu bebê.

Mas um bom projeto deve pensar além da primeira fase da criança. Lembre-se que seu filho ou filha vai crescer e é interessante que o quarto cresça com ele. Uma escrivaninha, por exemplo, pode ter um tamanho adaptável, para as fases do desenvolvimento. Mesma orientação para as cadeiras. Aliás, nesse quesito, móveis multiusos, como pufes-baú, nichos e caixas com rodinhas, facilitam na hora de guardar os brinquedos, aumentando o espaço de armazenamento. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.