Casa própria: o guia completo para comprar seu primeiro imóvel em 2022

Conquistar a casa própria é o seu sonho, mas ainda possui dúvidas sobre o processo? Confira neste artigo um guia para comprar seu primeiro imóvel

O sonho da casa própria ronda o imaginário da maioria dos brasileiros. Contudo, essa transação envolve riscos, muito planejamento e compromete o orçamento das famílias por um longo tempo. Desse modo, é muito importante ter cautela durante todo o processo. O ideal é planejar-se financeiramente, cortar custos e se possível juntar o máximo de dinheiro possível para dar uma entrada significativa e reduzir o valor financiado.

Além disso, é importante conhecer todos os trâmites dessa transação comercial. Você conhece todas as formas de pagamento de um imóvel? Sabe quais são os custos e despesas extras que envolvem essa compra? Esses são pontos fundamentais para não errar na hora de comprar a casa própria.

Escolhendo o seu imóvel

Comprar o primeiro imóvel é um alto investimento e o sonho de quem quer sair do aluguel. A casa própria garante estabilidade para a família. Contudo, para que isso aconteça é preciso que exista um planejamento consistente para que o sonho da casa própria não vire uma dor de cabeça. Assim, o primeiro passo é escolher o imóvel com bastante cuidado já que se trata de um alto investimento.

Defina qual imóvel você procura. Pretende se mudar para um apartamento? Ou uma casa atende melhor às suas necessidades? Em seguida, é importante traçar as características do seu imóvel ideal. Faça uma lista do que a propriedade precisa ter. Isso garante que você estabeleça prioridades e não fique perdido durante as visitas aos imóveis.

Imóvel novo, usado ou na planta: entenda as diferenças

Na hora de comprar um imóvel muitas possibilidades vão aparecer à sua frente. Dentre elas podemos citar a escolha por um imóvel novo ou usado, além de uma propriedade na planta, que ainda está em construção. As três opções oferecem vantagens e desvantagens. Decidir entre o que é melhor vai do perfil de cada comprador.

Imóvel Novo

Um imóvel classificado como novo é aquele que faz parte dos mais recentes empreendimentos das construtoras. Eles não possuem antigos moradores e foram concluídos há pouco tempo. Esses imóveis são ótimos pois, normalmente, apresentam o que há de mais inovador no mercado, acompanhando tendências. Além disso, por não possuírem antigos moradores e por terem acabado de ser construídos, esses imóveis não exigem reparos e estão em perfeito estado de conservação.

Contudo, justamente por essas características, os imóveis novos costumam ter os preços mais altos do mercado já que são mais valorizados. Algumas unidades podem até ser vendidas já mobiliadas, o que aumenta o valor no mercado. Basicamente essas propriedades são excelentes opções para quem está disposto a pagar mais e se mudar o mais rápido possível.

Imóvel usado

Comprar um imóvel usado exige cuidado redobrado. Isso porque, é importante evitar as propriedades que exigirão prejuízos e gastos extras. Assim, esses empreendimentos exigem uma verificação mais apurada das condições do imóvel, além do seu histórico para garantir que ele já está quitado.

Além disso, outras particularidades devem ser analisadas antes de comprar um imóvel usado. Esses empreendimentos exigem a verificação das condições de financiamento, se existem débitos no condomínio e se a documentação do imóvel está regularizada. A grande vantagem em se comprar um imóvel usado está no seu valor. Isso porque, geralmente, ele é mais barato que um imóvel novo. Ademais, essas residências estão prontas para morar, o que pode ser um diferencial para quem tem pressa em se mudar. Essas unidades também são a maior parte da oferta no mercado, o que pode tornar mais fácil a sua busca pela casa dos seus sonhos.

Imóvel na planta

Comprar apartamento na planta envolve algumas particularidades. Neste modelo, o comprador basicamente financia os custos da construção. Por isso, é muito comum que algumas pessoas achem que o valor dessas propriedades é maior que adquirir um imóvel novo. Contudo, isso só ocorre porque o valor na entrada é maior. 

Quando a obra é concluída, o comprador pode decidir entre pagar o valor total restante ou dar continuidade à solicitação de financiamento. Além disso, uma das maiores vantagens quando se compra um apartamento na planta é a opção de entrada parcelada. Para um apartamento já pronto, é necessário pagar entre 20% e 30% da entrada no ato da compra. Para imóveis na planta, é possível dividir esse valor pelo tempo de construção. 

Também existe uma maior flexibilização para as negociações, como melhorar as condições de pagamento ou ainda optar pela melhor vista. Outro ponto muito importante diz respeito à personalização do imóvel. Comprar um apartamento na planta permite negociar certas características do imóvel com a construtora. 

Contudo, comprar um imóvel na planta pode ser um empreendimento de risco, já que existe a possibilidade de não receber o patrimônio. Os motivos podem ser problemas financeiros da construtora ou ela não ser uma empresa de confiança. Além disso, comprar apartamento na planta também apresenta o risco de, ao final da construção, os empreendimentos serem diferentes do prometido. Isso acontece, porque os apartamentos podem sofrer alterações durante a obra. Ademais, para investir em um apartamento na planta é preciso ter em mente que o valor inicial pode subir devido à reajustes.  

Opções de pagamento da casa própria

Após escolher qual o seu imóvel ideal, é importante pesquisar as formas de pagamento. Existem diversas opções no mercado e o que decidirá o que é melhor para você será a sua situação financeira.

Pagamento à vista

Comprar a casa própria à vista é o sonho da maioria dos brasileiros. Isso porque, esse investimento não compromete a renda das famílias a longo prazo. Infelizmente, poucos são aqueles que conseguem optar por essa forma de pagamento, já que os montantes são muito altos e fora da realidade financeira da maioria. Essa forma de pagamento também permite maior flexibilidade de negociação. Isso acontece porque a maioria das imobiliárias e construtoras oferecem um abatimento no preço quando o imóvel é pago à vista.

Financiamento de imóvel

O financiamento de imóvel é a alternativa mais utilizada na hora de adquirir a casa própria.  Um financiamento de imóveis é feito por bancos. Assim, as instituições financeiras pagam ao vendedor do imóvel a quantia requisitada pelo comprador que deve pagar ao banco para quitar a dívida. Contudo, não é possível financiar todo o valor da propriedade, sendo usual que o comprador dê uma entrada entre 20% e 30% do valor total.

Para financiar um imóvel é importante se atentar às condições de pagamento e juros incidentes no contrato. Atualmente, a maioria dos bancos oferecem opções de financiamento e esses são os principais pontos que os distinguem entre si. Assim, ao resolver optar pelo financiamento é importante pesquisar todas as opções e optar por aquela que melhor se encaixa no seu orçamento.

Consórcio

Uma outra opção muito comum é o consórcio de imóvel. Ele funciona da seguinte maneira: um grupo de pessoas se reúne para pagar mensalmente uma quantia fixa, pré-determinada e sem acréscimo de juros por um determinado período. No decorrer dos meses são realizados sorteios e lances que contemplam um dos integrantes. Assim, é fornecido justamente o crédito que ele almeja para a compra de um imóvel. No final do prazo todos os participantes recebem o valor investido para comprar a casa própria.

Utilizando o FGTS para o pagamento do seu imóvel

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço ou FGTS é um bom aliado de quem trabalha com carteira assinada e pretende comprar a casa própria. O saldo do FGTS pode ser sacado total ou parcialmente e pode ser usado, conforme regras da CEF, para comprar um imóvel, amortizar ou abater o saldo devedor do financiamento. Esse benefício facilita o pagamento ou pode até ser decisivo para que ele seja liberado.

Para isso, basta respeitar as condições legais do uso do FGTS. Elas envolvem o perfil do comprador e o tipo de imóvel desejado. Além disso, é preciso se atentar aos requisitos da própria instituição financeira.

Despesas da compra da casa própria

Quando falamos em adquirir a casa própria muitas pessoas se organizam financeiramente pensando no valor do imóvel. Contudo, é preciso ter em mente que várias taxas e valores extras devem ser levados em consideração.

Documentação e impostos

Para finalizar a compra da casa própria é preciso arcar com custos que vão além do valor do imóvel. O primeiro deles é o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Ele pode chegar a 3% do valor de venda da propriedade e deve ser pago à vista.

Além do ITBI, existem também os documentos e os custos de cartório. Esses papéis atestam legalmente os recursos financeiros para a compra e transferência de titularidade, como a escritura pública e o registro de imóvel.

A mudança

Adquirir a casa própria significa ter que organizar uma mudança da sua residência atual até a nova. Esse processo envolve alguns custos que geralmente são ignorados na hora de comprar um imóvel. Para não ser pego de surpresa coloque no orçamento o valor do serviço de mudança. Pesquise pelas companhias que atuem na sua cidade e compare os preços para encontrar aquela com melhor custo-benefício.

Reforma e decoração

Ao adquirir a casa própria, dificilmente se encontra um imóvel perfeito, como foi sonhado pelo comprador. Para isso, em muitos casos, é preciso investir em pequenas reformas ou até mesmo no design de interiores. Essas modificações na moradia podem deixá-la mais confortável e adaptada à sua rotina. Contudo, elas envolvem investimento financeiro para as mudanças, ou até mesmo, no custo de um aluguel durante os procedimentos dependendo do que será feito no imóvel.

Além disso, você pode optar por mudar a sua decoração e comprar novos móveis. Assim, é preciso avaliar o que vai ser levado para a nova casa e o que será descartado. Você pode optar por comprar peças decorativas e revestimentos para modificar o ambiente sem precisar se desfazer dos móveis que já tem.

Taxa de condomínio

Para concluir as despesas ao se adquirir a casa própria precisamos falar da taxa de condomínio. Na hora de escolher o seu imóvel é muito importante se atentar aos gastos fixos que eles acrescentarão às suas despesas. Assim, certifique-se de que poderá arcar com a taxa de condomínio. Ela é aplicada em apartamentos ou casas em condomínios fechados.

Trata-se de um valor mensal dividido igualmente entre as unidades do condomínio e todos os moradores devem pagá-la. Esse valor é muito importante pois deve arcar com as despesas que são comuns aos moradores como a manutenção das áreas de convivência, limpeza e segurança.

Dicas para comprar a casa própria

Comprar a casa própria é um grande investimento, tanto por se tratar de uma transação que envolve altos valores quanto pelo tempo de pagamento quando optamos pelo financiamento. Isso significa comprometer parte da sua renda por muitos anos e por isso é preciso acertar na escolha.

Conte com a ajuda de um corretor

Contar com a ajuda de um corretor é essencial para reduzir os riscos de um negócio. Ele te ajudará a encontrar o imóvel ideal para a sua família e te auxiliará nos trâmites legais e burocráticos. É muito importante que você escolha um profissional de segurança. A dica é sempre optar por aqueles que são indicação de amigos e conhecidos. Se isso não for possível opte sempre por aqueles que possuem registro tanto no COFECI quanto no CRECI, órgãos que fiscalizam a profissão.

Faça uma vistoria

A vistoria de imóveis é muito utilizada para contratos de aluguel, mas isso não te impede de solicitar uma caso se trate de uma transação de compra e venda. Ela é indispensável quando o imóvel que você vai comprar é usado.

Essa é uma maneira segura de garantir que a propriedade não possui danos estruturais, problemas hidráulicos e elétricos, mau funcionamento nos serviços de eletricidade, água e gás, ou qualquer outro problema que resultaria em uma obra ou despesas exorbitantes.  Para isso, você pode contar com os serviços de um engenheiro ou até mesmo de uma empresa especializada em vistoria de imóveis.

Pesquise o histórico da construtora

Como dito anteriormente, comprar um imóvel na planta é um empreendimento de risco porque pode acontecer da construtora não entregar a propriedade. Para minimizar essas questões, é importante pesquisar o histórico da construtora. Além disso, para esses imóveis não é possível realizar vistorias, então é importante que a construtora seja de confiança. Verifique os outros imóveis já vendidos e entregues pela empresa, além de sua saúde financeira, se há ações protocoladas na justiça e se os profissionais que atuam nela estão devidamente inscritos nos respectivos conselhos regionais e federais da categoria.

Evite fazer negócios com pessoas físicas

Embora pareça mais simples adquirir um imóvel de pessoas físicas, contar com o apoio de uma imobiliária é fundamental para reduzir os riscos. Esse apoio é muito importante na hora de redigir um contrato de compra e venda, já que essas empresas contam com assessoria jurídica. Além disso, contar com uma imobiliária te assegurará que o valor pago pela propriedade está dentro dos padrões do mercado. Ao fim, os profissionais de uma imobiliária possuem o conhecimento necessário para garantir a veracidade dos documentos apresentados por ambas as partes, evitando fraudes.

Na hora de comprar o seu imóvel você pode contar com o apoio da Casa Mineira Imóveis. Acesse o nosso portal e saiba mais. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.