Design de interiores: o que é e como ele pode te ajudar a ter espaços mais bonitos e funcionais

Quer realizar intervenções no seu imóvel mas não sabe por onde começar? O design de interiores pode ser a solução. Confira tudo sobre eles neste artigo.

Definir o projeto de imóvel é um processo que requer muita atenção e cuidado. Isso porque, caso o resultado não seja agradável, a relação com o espaço pode ser afetada. Em tempos de pandemia, por exemplo, muitas pessoas viram a necessidade de realizar pequenas reformas em suas casas para deixá-las mais aconchegantes e funcionais. Essas modificações vão desde montar um escritório ou adaptar o ambiente para atividades físicas e hobbies. 

Sendo assim, projetar um ambiente interno requer muita responsabilidade e algumas pessoas ainda não compreendem o processo. Muitos ainda reduzem o design de interiores à decoração, contudo, ele vai muito além disso. Os profissionais da área são responsáveis por planejar, pesquisar, coordenar e gerenciar os projetos de aprimoramento de um imóvel ou ambiente. O objetivo é sempre obter um espaço mais saudável e esteticamente agradável para as pessoas.

O que é o design de interiores

Design de interiores é a área responsável por planejar e realizar projetos de espaços. O objetivo é que as intervenções nos imóveis o tornem funcional sem perder de vista a qualidade de vida de quem ali vive. Os projetos envolvem decoração e funcionalidade, indo desde os acabamentos e materiais utilizados até os móveis.

Podemos datar o design de interiores desde antes de 1.000 a.c. Isso porque, os egípcios já construíam suas casas tendo em vista os princípios de design de hoje. As construções feitas de barro eram preenchidas com mobiliário de madeira, tapetes de palha e tecidos de pele de animais. Além disso, esses povos transformaram as paredes de suas casas em murais, retratando seus gostos e costumes, como nós fazemos com quadros e fotografias.

Designer de interiores: conheça a profissão

O designer de interiores é o profissional responsável por idealizar e executar os projetos de design de interiores. Seus conhecimentos e habilidades envolvem desde um senso e referências para decoração até o olhar técnico de um engenheiro e um design. 

Quando falamos que esses profissionais fazem muito mais que apenas decorar um ambiente estamos tratando de todos os processos que envolvem o seu trabalho. Um design de interiores pode criar móveis personalizados e ideais para o ambiente e seus moradores além de trabalhar com paisagismo. .

Outro ponto muito importante diz respeito à sustentabilidade dos projetos. Um designer de interiores voltado para uma ação mais responsável pode apostar na reutilização de móveis e artigos. Isso pode ser feito através da criação de espaços como hortas em apartamentos.

 

O que envolve o design de interiores

Como dito anteriormente, o processo para o design de interiores vai muito além de decorar um ambiente. Mas afinal, quais são os pontos com que um profissional da área deve lidar?

Layout

Todo designer de interiores trabalhará em cima de um layout de projeto. Nele estão dispostos todos os equipamentos mobiliários e objetos no ambiente a ser projetado. Cabe ao profissional distribuir adequadamente todos esses artigos de modo a organizar os fluxos do espaço, criar locais de permanência e hierarquizar o espaço. Esse trabalho pode ser feito a partir da planta do imóvel, e em casos de plantas livres, o layout torna-se imprescindível. 

Alguns designers, por exemplo, subverteram as plantas ao executar o que chamamos de espaços abertos, utilizando mais do que paredes para dividir as áreas, mas sim a estrutura dos próprios móveis. 

Para desenvolver um bom layout, o profissional deve se atentar às normas de acessibilidade, rotas de fuga para incêndio e dimensões mínimas para cômodos. Contudo, outra tendência são os microapartamentos, e pode ser explicada pelo crescimento populacional, ocasionando cidades cada vez mais densas e imóveis mais caros. Esses empreendimentos demonstram que as normas de design de interiores não precisam ser tão rígidas. Basta compreender as necessidades do espaço e do usuário para propor layouts funcionais.

Mobiliário

Apesar do design de interiores não se resumir ao mobiliário, ele influencia diretamente a qualidade de qualquer projeto. O profissional responsável deve escolher aquilo que favorece a rotina e o funcionamento do espaço objetivando sempre a melhora da sua relação com o usuário. Outro ponto de observação importante é assegurar que as escolhas feitas pelo designer não prejudiquem itens elementares como a circulação. 

Falamos sobre a redução cada vez maior dos espaços - os apartamentos estão ficando cada vez menores - e a atenção pela escolha do mobiliário é primordial. Sendo assim, tem se tornado cada vez mais comum que os designers de interiores optem por projetar itens sob medida. Desse modo é possível aproveitar de maneira mais eficiente cada centímetro quadrado. 

Além disso, é possível contar com o chamado mobiliário flexível. Esses objetos, como o próprio nome diz, possibilitam a flexibilização do ambiente e sua função como bancos que podem ser empilhados, meses recolhíveis e que podem ser usados em dupla função. Esses móveis são vistos como o futuro da indústria. 

Ergonomia

Quando falamos em ergonomia para o design de interiores, nos referimos à saúde e bem estar que o ambiente pode trazer para os usuários. A qualidade do espaço é essencial já que a insegurança e insalubridade pode ser bastante prejudicial à saúde física e mental das pessoas. Um ambiente com muito ruído, por exemplo, pode elevar os níveis de estresse dos moradores e por isso, pensar em isolamentos acústicos durante uma reforma é muito importante.

O conforto engloba diversas esferas, como a estética do ambiente, à circulação do ar, a acessibilidade e aplicação de tecnologias e estratégias para facilitar a vida do usuário. Como o espaço é percebido visualmente quando o habita? É acusticamente confortável? O ar circula de maneira a garantir sua qualidade e temperaturas mais amenas?O design de interiores lida com essas questões conjuntamente.

Desse modo, a ergonomia está relacionada à projetar espaços e dispositivos bem adaptados, respeitando as características fisiológicas, anatômicas e até psicológicas dos habitantes e usuários de cada cômodo. É a relação entre o ambiente e as ações e comportamentos que serão desenvolvidos pelo corpo e mente dos moradores.

Materiais e acabamentos

Embora a escolha dos materiais e acabamentos esteja muito ligada à estética, o design de interiores envolve a análise de sua funcionalidade, custo e composição. Isso porque, é muito importante mensurar os efeitos que esses materiais podem causar ao meio ambiente ao longo de sua vida útil e como ele se relaciona com todo o projeto. 

Sendo assim, a escolha desses revestimentos ou acabamentos deve considerar:

  • objetivo do projeto: a escolha dos materiais deve acompanhar tanto a função a que se destina o espaço quanto às necessidades dos usuários. Assim, é importante avaliar o nível de tráfego e uso do ambiente, como será feita a limpeza, desgaste e exposição ao sol e outros elementos naturais. Além disso, outros fatores como cor e textura podem influenciar nas impressões que o ambiente passa, podendo contribuir para sua compressão e difusão de luz.
  • Material de composição: esse ponto trata de definir a resistência, flexibilidade e maleabilidade dos objetos. Assim, é possível definir suas aplicações. 
  • Instalação: A instalação dos revestimentos deve ser analisada. Ela será feita por meio de fixação ou adesivos? Essa consideração ajuda a economizar e evitar erros durante a obra.

Design de interiores: a importância de um profissional

Ter um imóvel próprio permite que algumas mudanças e reformas sejam feitas para adaptar o ambiente às suas necessidades e sonhos. Contudo, o processo de reforma pode ser muito estressante quando não se conta com os profissionais certos. Se seu objetivo é idealizar o design de interiores na sua casa, contratar um designer pode ser a melhor opção. Esses profissionais possuem um olhar holístico sobre o processo e podem realizar intervenções que otimizem a utilização do espaço.

Contudo, em muitos casos, uma reforma completa pode ser inviável. Desse modo, a recomendação é se certificar das normas do condomínio antes de adquirir o seu imóvel e optar pelos empreendimentos que mais se assemelhem estruturalmente aos seus objetivos, reduzindo a necessidade de intervenções.

Para adquirir seu imóvel ideal, você pode contar com parceiros como a Casa Mineira Imóveis. Em seu portal é possível filtrar suas principais necessidades e localizar sua residência dos sonhos. Além disso, não deixe de conferir os conteúdos de nosso blog, com materiais sempre atualizados e confiáveis sobre o mercado imobiliário. Confira!

anunciar meu imovel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *