Santo Agostinho
Central de vendas:0312536 9000
Central de locação:0313285 3005

Bairro Santo Agostinho

Belo Horizonte

 

 

HISTÓRIA

Extremamente bem localizado, e com uma origem um tanto curiosa, o Santo Agostinho é um bairro de BH que se destaca pela qualidade de vida, pelo padrão alto luxo de habitação e pelo seu ar bucólico: continua se parecendo com a Belo Horizonte em sua melhor fase, sem virar as costas para o moderno.

Sua origem data de 1934 com a instalação do Colégio Santo Agostinho – que é, até hoje, um dos mais tradicionais centros de ensino da capital. Era ocupado, a princípio, por favelas formadas às margens dos córregos Leitão e Barroca. A diferenciação entre a comunidade simples e o alto luxo começou na década de 1950, quando as moradias foram todas retiradas e, a área, disponibilizada para a Universidade de Minas Gerais (que, hoje, é a UFMG).

 

 

A universidade, então, começou a vender vários lotes, o que favoreceu o povoamento da região e o surgimento de construções cada vez mais nobres. Atualmente, com cerca de nove mil habitantes, o Santo Agostinho é conhecido como um dos bairros da Zona Sul de classe média mais alta da capital mineira.

É, também, uma forte referência cultural da cidade, com circuitos que incluem teatros, cinemas, casas de shows, bares, restaurantes e diversos pontos turísticos. Embora seja bastante residencial – e habitado, majoritariamente, pelo público da terceira idade –, o Santo Agostinho é sinônimo de agito na noite belo-horizontina.

Uma curiosidade do bairro é que seus prédios e casas raramente têm muros grandes, tampando boa parte da fachada. O clima, nostálgico, remete o morador ou visitante a uma época em que esse recurso ainda não era necessário para proteção de propriedade. A arquitetura mais clean permitiu que o Santo Agostinho fosse completamente arborizado, garantindo maior qualidade de vida e mais frescor em um clima ameno.

O Santo Agostinho é um daqueles bairros que já nos desperta amores só de ouvir falar. Pra viver, então, é a realização de um sonho: todo mundo quer um pouco da energia, vitalidade e tranquilidade do bairro para sua vida.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES

Se a localização de um bairro fosse o único item de influência na escolha do morador, todos os habitantes de Belo Horizonte morariam no Anchieta.

O Santo Agostinho está tão perto de bairros como Lourdes e Barro Preto que fica até difícil saber onde começa um e termina o outro, além disso, ele faz fronteira com os bairros Cidade Jardim, Gutierrez, Prado e Savassi, todos muito tradicionais, bem vistos e bem quistos pela população.

Mas, ainda que esteja em tamanha proximidade com grandes localizações da capital – e corredores de intenso movimento, como as avenidas do Contorno, Olegário Maciel, Amazonas, Barbacena e Álvares Cabral –, ele ainda tem “cara de bairro”. Fica perto do Centro e tem toda a sorte de oferta de serviços dentro do próprio bairro, fazendo com que o morador não precise se deslocar a um vizinho para encontrar o que precisa.

É também um dos bairros mais seguros de toda a capital, o que o deixa em uma situação privilegiada para quem busca uma região pulsante, viva e, ao mesmo tempo, tranquila.

QUALIDADE DE VIDA

O Santo Agostinho é tradicional, nobre e charmoso, além majoritariamente habitado por adultos da terceira idade. Qualidade de vida, então, é uma das maiores necessidades do bairro.

E, para a sorte de todos, ele não deixa a desejar: mesmo notando-se verticalização mais acelerada nos últimos anos; o Santo Agostinho ainda tem muita área verde, espaço de convivência, possibilidade de práticas de esportes e clínicas que garantem a melhoria constante do corpo e da mente.

A Praça Carlos Chagas, mais conhecida como a Praça da Assembleia, que foi recentemente reformada para garantir mais segurança e lazer a moradores de todas as idades, é o principal ponto de encontro do bairro. É comum, aos fins de semana, ver a praça abarrotada de bicicletas, patins e crianças. E, no cruzamento das avenidas Barbacena com Amazonas, tem um pequeno quarteirão fechado com quadra de peteca, onde moradores e pessoas que trabalham no Santo Agostinho disputam animadas partidas do esporte.

O Santo Agostinho também tem duas academias que estão por lá quase há tanto tempo quanto os pontos turísticos: a Samurais, com mais de 50 anos de existência, é um centro esportivo passada entre três gerações de uma mesma família, e a Wall Street, uma das academias mais antigas do bairro, que atualmente trabalha com conceito low cost e bons descontos para moradores.

Além de tudo isso o bairro se orgulha, ainda, em ser pet friendly – ou seja, por lá, seu bichinho de estimação é bem vindo e tem todas as condições de ser bem cuidado. O parque Rosinha Cadar tem um espaço específico para que moradores levem seus cachorros para brincar, o que estimula tanto a boa vida do bichinho quanto a convivência entre vizinhos dentro das áreas do bairro.

CULTURA, LAZER E TURISMO

Um bairro tão tradicional quanto o Santo Agostinho não poderia deixar de ter uma extensa lista de itens de cultura, lazer, turismo e educação.

Pra começar, o bairro abriga a Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais e possui uma estrutura completa para atender a todos os deputados e suas equipes. Além disso, a ALMG deu à comunidade local, a Praça Carlos Chagas, e o Teatro da Assembleia. Ainda no entorno da casa do povo estão dois conceituados restaurantes de Minas Gerais: o Villa Gianina, de buffet self service, e o Vecchio Sogno, que está no subsolo do prédio principal da Assembleia.

A arquitetura do bairro chama bastante a atenção, pela ALMG e por outros edifícios marcantes e históricos, como o prédio do Crea-MG, a sede regional do Banco Central, o Edifício JK, a sede da Cemig, o Hospital Mater Dei e a sede social do Clube Atlético Mineiro.

Cada um desses prédios tem um significado completamente diferente para Belo Horizonte, mas todos são velhos conhecidos do Santo Agostinho por hospedar momentos inesquecíveis da vida da cidade. A cada Natal, a Praça da Cemig fica tão iluminada e enfeitada que acaba virando um ponto turístico bastante visitado pelas famílias da capital.

E o que dizer da vida noturna do bairro que tem nome de santo? O profano e o sagrado se misturam com primazia nas ruas do Santo Agostinho, que tem bares tão importantes para a comunidade belo-horizontina quanto seus prédios e pontos turísticos.

O Ali Ba Bar, por exemplo, é conhecido por ser frequentado por grupos de motoqueiros que se reúnem às quartas-feiras para um happy hour pra lá de interessante. Construíram até uma estátua em forma de moto na praça ao lado para marcar, de vez, o ponto de encontro de quem ama a velocidade sobre duas rodas.

O bar participa dos festivais do Comida de Buteco, assim como participava o Peixe Frito, que não entrou na edição de 2017. Outro estabelecimento de baixa gastronomia bastante amado por moradores e visitantes é o Pimenta com Cachaça, que vira e mexe também figura entre os principais festivais de comida de raiz da capital.

Mas nem só de comida mineira vive o Santo Agostinho: é no Haus Munchen, bar considerado a casa da Alemanha em BH, que muitos gringos (principalmente europeus) se reúnem para matar a saudade de casa, da cerveja boa e dos pratos finamente encorpados. Quem quiser treinar o alemão vai se encantar com o cardápio (e os frequentadores) da casa.

Para completar a tradição e o charme do local, religião e educação andam juntas. O principal colégio da região, o Santo Agostinho, é, também, um dos mais requisitados de BH. Além dele, estão distribuídos pelo bairro outros colégios, dentre eles o Marconi, Pio XII e Bernoulli, além da Escola Estadual Maestro Villa Lobos, a Faculdade Novos Horizontes e o Instituto Cultural Cecília Meireles.

Para quem está formando família e precisa de referências educacionais fortes para as mais variadas idades, o Santo Agostinho tem de sobra – e com possibilidades para todos os orçamentos domésticos.

SERVIÇOS

Falamos aqui que o Santo Agostinho é um bairro bem residencial. Isso, inclusive, é o que ainda garante à região o charme bucólico de se parecer com a BH do início dos tempos. Mas, ainda assim, a oferta de serviços por lá é intensa, proporcionando ao morador a chance de resolver qualquer pendência sem se afastar muito de casa.

Além dos restaurantes e bares, o Santo Agostinho conta com pizzarias, supermercados (estão no bairro o Epa, o Carrefour, o MartPlus, o Super Nosso, o Dia% e o Verdemar do Diamond Mall), armarinhos, academias, agências bancárias (principalmente no entorno da Assembleia Legislativa), teatro, cinema, drogarias, escritórios de advocacia (pela proximidade com os prédios do Tribunal de Justiça e do Fórum), clínicas médicas e odontológicas e até self service de produtos integrais.

Apesar de não fazer divisa com a área hospitalar “oficial” da cidade, que fica no Santa Efigênia, o Santo Agostinho conta com dois hospitais dentro de suas fronteiras, sendo ambos de referência em Minas: Mater Dei e Hospital Felício Rocho. O primeiro é voltado para o atendimento particular, enquanto o segundo atende a pacientes do SUS e de convênios variados.

O grande centro de compras de quem mora no bairro é o Diamond Mall, que atrai gente de todas as localidades da cidade pelas suas lojas de alto luxo, além de cafés, salas de cinema, supermercados e outros comércios. O entorno do shopping é o espaço mais disputado e com o metro quadrado de alto valor no bairro.

TRANSPORTE

Por conta de sua localização privilegiada, a cidade inteira passa pelo Santo Agostinho em transportes públicos que ligam diversos bairros nas extremidades de BH. Isso faz com que os moradores tenham acesso à maior parte das localidades sem precisar fazer baldeação de ônibus ou metrô.

Alguns exemplos de linhas de ônibus que cortam o bairro e dão mais mobilidade aos moradores são o 8207, que liga os bairros Maria Goretti e Estrela Dalva e passa pelo coração do Santo Agostinho; os 2033 e 2034, que ligam o bairro Betânia ao Centro; o 2035, que leva do Bairro das Indústrias ao Centro; o 9211, que vai do Caetano Furquim ao Havaí, passando pelo Santo Agostinho; o 2152, que liga o Salgado Filho ao Cruzeiro; o 67, ligando a Estação Vilarinho ao Santo Agostinho via Carlos Luz; os SC03 A e B, que ligam o Hospital Felício Rocho ao Hospital Militar por dois itinerários diferentes, dentre outros.

Com uma boa notícia: com raras exceções, a maioria desses ônibus passa pelo Santo Agostinho em boas condições de viagem, ou seja, sem que os coletivos estejam lotados.

Compra e aluguel de imóveis no bairro Santo Agostinho

Quer comprar, alugar ou vender um imóvel no Santo Agostinho? Então a sua melhor opção é a Casa Mineira. Conheça a filial responsável pelo bairro:

 

Unidade Lourdes

 

 

POR QUE VALE A PENA?

O Santo Agostinho é, hoje, considerado um dos metros quadrados mais caros de Belo Horizonte (chegando a quase nove mil reais o metro quadrado). Isso tem uma explicação: além de tudo o que dissemos neste texto, e apesar de ser tão tradicional (e, por vezes, nostálgico), a maior parte das construções no bairro é nova.

Com o passar do tempo, várias casas antigas e prédios mais velhos foram demolidos para dar espaço a construções mais modernas, com amplas áreas de lazer e maior conforto. Os edifícios residenciais mais novos, construídos de 2006 pra cá, são considerados de altíssimo padrão, o que iguala o Santo Agostinho ao Belvedere e ao Lourdes quando comparamos os benefícios de cada bairro e suas opções de luxo.

Isso significa que o bairro é um bom lugar tanto para morar – e envelhecer – quanto para se investir em imóveis. Afinal, todos querem viver no Santo Agostinho, ainda que em prédios não tão novos. A qualidade de vida, o perfil amigável dos moradores, as áreas verdes em meio a selva de pedra da grande metrópole e a riqueza cultural, educacional e turística do bairro fazem sua valorização subir a níveis estratosféricos, tanto para quem busca uma moradia quanto para quem pesquisa nichos de mercado imobiliário.

De qualquer forma, não existe erro: se seus padrões de vida são diferenciados, o Santo Agostinho pode se encaixar muito bem na sua definição de melhor lugar para se morar em Belo Horizonte. Só te resta visitar as opções e escolher qual delas entrará no seu conceito de casa dos sonhos.

Guia de bairros vizinhos do Santo Agostinho

Bairro Lourdes - BH