Guia de Bairros Santo Antônio

Os moradores do Santo Antônio garantem que ele é um bairro bem gostoso de viver: sua vizinhança amigável, geografia acidentada e ruas arborizadas fazem do bairro um pedacinho do interior no meio da selva de pedra.

Atualmente vemos o bairro Santo Antônio como um bairro nobre, predominantemente de classe média alta, no coração de Belo Horizonte.

Mas a origem desse ponto, hoje tradicional, conta uma história bem diferente, que remonta à formação da capital mineira e diz do acolhimento de todas as classes sociais, que mais tarde foram se “agrupando” em outras localizações como os bairros Coração de Jesus, Santa Lúcia e Cidade Jardim.

O bairro Santo Antônio, cujo nome é em honra à Paróquia de Santo Antônio, fundada na localidade em 1936, começou sua história sendo o ponto de encontro da diversidade belo-horizontina no início do século XX. No entanto, uma das curiosidades sobre o bairro é que a igreja de Santo Antônio, propriamente dita, não fica lá – mas a fé está bem representada na vizinhança através da Paróquia Menino Jesus, na Rua Paulo Afonso, da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, na praça Cairo, um ponto de referência importante dentro do Santo Antônio, da Igreja Batista Central e do Centro Espírita Manoel Felipe Santiago.

Hoje conhecido como o bairro sede da Copasa, o Santo Antônio já foi referenciado, no passado, por outras peculiaridades. Por volta de 1910 o bairro era povoado por sítios e chácaras e recebeu o primeiro reservatório da cidade. Isso fez com que as pessoas se deslocassem mais para a região, a fim de “ficar perto da caixa d’água”.

Em 1930, começou-se no bairro um movimento de povoamento intenso, e ele acabou ganhando ares de bairro residencial. Em 1937 recebeu a linha de bonde “Santo Antônio”, que consolidou o nome do bairro, e foi também o endereço da antiga Fafich, a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Em 1970, as casas começaram a ceder lugar aos edifícios, tornando o Santo Antônio um bairro majoritariamente verticalizado.

Sua região, que hoje ostenta charme, já foi povoada pelas chamadas “cafuas”, casas simples, feitas de material facilmente encontrado na natureza. Atualmente, com aproximadamente 23 mil moradores, é o bairro dos sonhos para grande parte dos habitantes da capital de Minas.

Bairro Santo Antônio
Parque Ecológico Santo Antônio © Casa Mineira Parque Ecológico Santo Antônio © Casa Mineira
Igreja Santo Antônio © Casa Mineira Igreja Santo Antônio © Casa Mineira
Academia a Céu Aberto na Praça Cairo, Santo Antônio © Casa Mineira Academia a Céu Aberto na Praça Cairo, Santo Antônio © Casa Mineira

Avaliação de quem conhece o Santo Antônio

Opinião dos corretores da Casa Mineira sobre o bairro
Custo de vida
Segurança
Comércio
Áreas verdes
Limpeza
Lazer e entretenimento
Transporte

Os moradores amam

Localização, fácil acesso, caráter residencial, boa vizinhança.

Pontos a melhorar

Segurança, arborização, comércio na parte alta do bairro.

Vizinhança do bairro

Fonte: IBGE CENSO 2010

Faixa etária

Renda média

Composição Familiar

Quanto custa morar no Santo Antônio?

Fonte: Imóveis anunciados na Casa Mineira
Preço mínimo Preço médio Preço máximo
Apartamento de 2 quartos (50 a 80m²) R$ 189,000 R$ 452,609 R$ 720,000
Apartamento de 3 quartos (70 a 115m²) R$ 245,000 R$ 544,401 R$ 1,360,000
Apartamento de 4 quartos (110 a 200m²) R$ 349,000 R$ 967,226 R$ 1,920,000

Preço médio e por m² dos apartamentos no bairro

Fonte: Imóveis anunciados na Casa Mineira

Preço médio do apartamento anunciado

R$ 680.046 amostra = 320 apartamentos
  • 1º Quartil R$ 430.000
  • Mediana R$ 546.000
  • 3º Quartil R$ 810.000

Preço médio do metro quadrado

R$ 6.147 amostra = 320 apartamentos
  • 1º Quartil R$ 4.400
  • Mediana R$ 5.648
  • 3º Quartil R$ 7.643

Distribuição dos apartamentos à venda no Santo Antônio

Fonte: Imóveis anunciados na Casa Mineira

Pela quantidade de quartos

Quartos
  • 1 quarto (1,25%)
  • 2 quartos (23,44%)
  • 3 quartos (41,56%)
  • 4 quartos (33,44%)

Pela área do imóvel

Área
  • Até 70m² (17,19%)
  • 70m² a 120m² (50,00%)
  • 120 a 170m² (24,38%)
  • Mais de 170m² (8,44%)

Pelo preço dos apartamentos

Preço
  • Até R$ 400 mil (19,38%)
  • R$ 400 mil à R$ 800 mil (55,31%)
  • R$ 800 mil à R$ 1,5 milhão (20,00%)
  • Mais de 1,5 milhão (5,31%)

Mais sobre o bairro Santo Antônio

Viver a modernidade é bom, é muito bom, e qualquer tentativa de excluí-la do dia-a-dia seria um retrocesso. Mas também é bom poder ter um refúgio onde a gente se conecte mais com as raízes das coisas boas da vida, como família e amigos, e desfrute dos momentos de lazer da melhor forma possível. E o bairro Santo Antônio traz a seus moradores exatamente a sensação de ter uma cidade interiorana dentro da metrópole. Por lá, “é tudo pertinho” mesmo, e não só o “ali” de mineiro – tirando as agências bancárias, que podem ser acessadas com uma visita ao bairro vizinho, está tudo lá. Não é à toa que a maioria dos logradouros dentro do bairro homenageia cidades mineiras em seus nomes, além de fazer jus a figuras importantes da história de BH. Ou seja: o bairro tem o sossego e a paisagem do interior e o reforço histórico de quem ajudou a construir os rumos da cidade grande.

E, apesar de ser tradicional em sua fundação, história e nome, o Santo Antônio traz o que há de melhor para as novas famílias, os novos boêmios, as novas crianças. É um cantinho especial da cidade que pode – e deve – ser estudado com afinco por quem está pensando em adquirir um imóvel para viver ou investir, uma vez que a região, que já tem o rótulo de nobre, está ficando cada vez mais valorizada.

Se bem que, se o seu intuito for comprar um imóvel só para investir, procure não andar muito pelas ruas do bairro… senão você vai se apaixonar tanto, mas tanto, que vai ser difícil querer morar em qualquer outro lugar, que não esse.

  • Região a que pertence: Centro-Sul ()
  • Faz divisa com: Cidade Jardim, São Pedro, Santo Agostinho, Lourdes e Luxemburgo.
  • Habitantes do bairro: 19.998 habitantes (o Território 1 da Região Oeste tem 30.981 habitantes)

Qualidade de vida do bairro Santo Antônio

Fundada em 1897, Belo Horizonte é conhecida por vários predicados, dentre eles o de ser a “menor cidade grande do mundo”. Quem vive aqui sabe que BH não é tão pequena assim: com cinco milhões de habitantes em sua região metropolitana, é cosmopolita e está à frente de seu tempo em diversos quesitos.

Feira livre no Santo Antônio © Casa Mineira Feira livre no Santo Antônio © Casa Mineira
Feira livre no Santo Antônio © Casa Mineira Feira livre no Santo Antônio © Casa Mineira

No entanto, a capital traz todo o charme, o senso de comunidade e os laços afetivos do interior mineiro, fazendo com que haja um consenso de que, assim como em uma cidade pequena, aqui todo mundo se conhece. E não é só nas relações interpessoais que BH vibra com a alma mineira: seus bairros também parecem querer imitar à altura o aconchego que permeia as cidades entre as nossas montanhas. E, nisso, o bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul da capital, é aprovado com nota máxima por seus moradores.

Copasa, principal ponto de referência do Bairro © Casa Mineira Copasa, principal ponto de referência do Bairro © Casa Mineira
Delegacia de Polícia Civil, Santo Antônio © Casa Mineira Delegacia de Polícia Civil, Santo Antônio © Casa Mineira
Capela Nossa Senhora de Nazaré © Casa Mineira Capela Nossa Senhora de Nazaré © Casa Mineira

Pergunte a qualquer pessoa qual é a característica mais marcante do bairro Santo Antônio e ela vai te responder que é sua geografia acidentada – muito peculiar nas cidades do interior mineiro. O sobe e desce dos morros pode cansar um pouquinho quem não é de fazer exercícios físicos, mas é o que garante um visual bonito ao bairro – e uma vista privilegiada da cidade. Os moradores de lá garantem que o Santo Antônio é um bairro bem gostoso de viver, porque ele tem outras características de cidade do interior no meio da selva de pedra, tais como vizinhança amigável e ruas arborizadas, que deixam o ar sempre mais leve.

Cultura, lazer e turismo no Santo Antônio

Por falar em pontos positivos para qualidade de vida, não podemos nos esquecer do quesito “cultura e lazer”; afinal, na correria do dia-a-dia, é sempre bom encontrar nas horas livres refúgios para a alma. Algumas pessoas gostam de um clima mais familiar, outras querem mais agitação nos momentos de lazer. Para a sorte dessas pessoas, o Santo Antônio consegue compor um cenário que agrade a todos os tipos de personalidade.

Para começar, contrariando sua origem mais tradicional e pudica, o bairro tem raízes na boemia – e é conhecido por ter alguns dos melhores bares e restaurantes da cidade. Ruas como Congonhas, Santo Antônio do Monte e Leopoldina concentram a maior – e melhor – parte dos barzinhos do bairro, como Salsa Parrilla, Fuxiquim, Ora Bolhas, Em Nome do Santo, Bar da Fida, Casa da Árvore, Casa África, Du Espeto, Via Cristina e Bacon Paradise estabelecimentos sempre tidos como de alto padrão de atendimento e qualidade de serviço.

Mercearia do Lili, Santo Antônio © Casa Mineira Mercearia do Lili, Santo Antônio © Casa Mineira

Outra opção muito valorizada pelos próprios moradores é a Mercearia do Lili, que já está no Santo Antônio há um tempo. Dá para encontrar nela bens de consumo para o dia a dia (como sabão em pó, detergente...), como em qualquer mercearia, mas o estabelecimento é mais conhecido por ser um ponto de encontro das pessoas que tenham a finalidade de comer do bom e do melhor, como carne de panela, típico prato mineiro. Quando a mercearia se transforma em bar, o ambiente é familiar e aconchegante, o que o torna ainda mais valorizado pelos consumidores. O bar já esteve várias vezes no circuito Comida di Buteco e é conhecido dentro e fora do bairro pela qualidade no atendimento. De modo geral, todo o Santo Antônio tem como características marcantes o aconchego e o atendimento impecável na maioria de suas opções de serviço de cultura e/ou lazer.

Já quem busca por aspectos mais “animados” da vida noturna vai achar o endereço perfeito nos pubs Los Mariachis, Uaimií Brew Pub, Andaluz e Botequim Santo Antônio, principalmente quando esse último oferta noites de samba: a programação “de raiz” é tradicionalíssima na noite belo-horizontina para quem gosta de agito de qualidade.

Mas nem só de bares vive o bairro de Santo Antônio. A “geração saúde” também encontra boas opções de lazer bem perto de casa. Uma delas é ir até à rua Prudente de Morais aos domingos, onde uma pista de carros fica fechada do início da manhã até às 14h para que as famílias levem crianças para andar de bicicleta, patins e brincar de bola. Assim, claro, os adultos acabam podendo usufruir da mesma possibilidade de praticar esportes ao ar livre.

Restaurante alemão Neckartal © Casa Mineira Restaurante alemão Neckartal © Casa Mineira
Clube Mackenzie, Santo Antônio © Casa Mineira Clube Mackenzie, Santo Antônio © Casa Mineira

Como a sociedade belo-horizontina se organizou em clubes, através dos tempos, não falta no bairro o seu próprio “exemplar da espécie”: desde 1961 está no Santo Antônio a sede do tradicional Clube Mackenzie, que agita o convívio social entre associados, e é referência de qualidade em esportes como natação, vôlei e basquete.

No âmbito cultural, o Santo Antônio abriga o prédio da Biblioteca Municipal, onde outrora foi a casa da Fafich, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, e tem como “vizinho” o Museu Abílio Barreto, que fica na Prudente, mas é CEP do Cidade Jardim. Mas não é só em seus acervos que o bairro esbanja cultura, não. Na década de 1990 ele ficou nacionalmente conhecido por servir de cenário para o filme brasileiro O Menino Maluquinho, uma adaptação de Helvécio Ratton para a obra em literatura do cartunista Ziraldo. Quem não se lembra das cenas do garoto descendo ladeiras com carrinho de rolimã na cidade grande antes da visita aos avós no interior do estado? Muitas dessas cenas foram feitas no Santo Antônio, o que chancela o bairro como retrato fiel da paisagem urbana-moderna de Minas.

Secretaria Municipal de Educação, antigo prédio da Fafich © Casa Mineira Secretaria Municipal de Educação, antigo prédio da Fafich © Casa Mineira
Vaquinha, escultura independente © Casa Mineira Vaquinha, escultura independente © Casa Mineira

E essa modernização urbana é palpável na cultura local. Quem transita pela Rua Leopoldina pode ver a escultura independente “Vaquinha”, que “mora” na calçada da rua desde 1983. Essa escultura já está legalmente inserida no conjunto de elementos que faz hoje o Santo Antônio: é tombada pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural de BH e amada pela grande maioria dos moradores. O artesão responsável pela obra afirma que a intenção com a vaquinha é quebrar a monotonia e o caos do meio urbano, e fazer com que as pessoas se lembrem do meio rural e da natureza, duas características bem arraigadas em Minas. Dá pra entender porque o bairro une tanto o tradicional e rústico com o moderno e arrojado, né? Principalmente depois de ver que ele é palco para manifestações urbanas, cenário para filmes e endereço preferido de quem quer ver a boemia de BH por uma ótica mais assertiva e animada.

É bom lembrar que no Santo Antônio está o Hotel Mercure, na Contorno, um dos mais procurados por quem vem à capital fazer turismo de negócios. No bairro também está a casa de chá Chá Comigo, que é cafeteria e livraria com sinal de wifi. Como estabelecimentos desse tipo estão em falta em BH, a Chá Comigo leva não só mais charme ao bairro como, também, mais consumo geral, principalmente para pessoas que buscam um lugar para trabalhar que não seja co-working (escritórios compartilhados) ou home office (trabalho feito de casa). O resumo disso é um trânsito intenso de gente jovem e antenada pelas ruas do Santo Antônio.

Serviços no bairro Santo Antônio

Quem mora no Santo Antônio tem uma extensa gama de serviços à disposição, na maioria das vezes a poucos passos de distância de casa. E quando dizemos “extensa”, é verdade: para a maioria dos moradores, quando algo não é encontrado diretamente no bairro, o que é raro, o problema que é resolvido facilmente com uma ida aos bairros fronteiriços – uma das opções para shopping, por exemplo, é o Pátio Savassi, que fica no bairro ao lado, assim como o Chevrolet Hall, uma das mais importantes casas de show de BH, e para onde o deslocamento até a residência é fácil e rápido.

Instituto Padre Machado © Casa Mineira Instituto Padre Machado © Casa Mineira
Escola Municipal Presidente João Pessoa © Casa Mineira Escola Municipal Presidente João Pessoa © Casa Mineira

Para quem tem filhos pequenos, ou pensa nessa possibilidade, o bairro também conta com escolinhas infantis e berçários. No entanto, há por lá, também, educação para todas as idades, incluindo a possibilidade de ensino em escolas tradicionais, como a infantil Gaivotas e as infanto-juvenis como o Colégio Padre Machado, uma das instituições de ensino mais tradicionais de Belo Horizonte, o Colégio Pitágoras, da Avenida Prudente de Morais, e Marista Dom Silvério, da Avenida Nossa Senhora do Carmo. Esses dois últimos não respondem ao CEP do Santo Antônio, mas são vizinhos do bairro e podem ser ótimas opções para quem quer matricular os filhos em instituições de qualidade perto de casa.

Carrefour Bairro na Av. Prudente de Moraes, Santo Antônio © Casa Mineira Carrefour Bairro na Av. Prudente de Moraes, Santo Antônio © Casa Mineira
Drogaria Araújo na Av. do Contorno, Santo Antônio © Casa Mineira Drogaria Araújo na Av. do Contorno, Santo Antônio © Casa Mineira
Centro de Saúde Menino Jesus © Casa Mineira Centro de Saúde Menino Jesus © Casa Mineira

A população do Santo Antônio conta com boas opções de farmácias, mercearias, lavanderias, sacolões, padarias – incluindo a tradicional Padaria Cataguases, além da Pão e Magia –, supermercados (Verdemar na Rua Viçosa, Carrefour Bairro na Rua Prudente de Morais e Epa ao lado do Colégio Pitágoras), restaurantes e demais serviços de primeira necessidade. E as famosas “lojinhas de bairro” vão desde a oferta de presentes até butiques de grife.

Transportes no Santo Antônio

Por estar em uma região privilegiada, o transporte do Santo Antônio para outros bairros é relativamente fácil. Quando os moradores precisam utilizar táxi para os arredores, esse não fica tão caro – e as possibilidades de linhas de ônibus não deixam a desejar. Afinal, o bairro tem a Contorno muito próxima, e só a avenida já seria uma boa opção para pegar dezenas de linhas que ligam Santo Antônio a outros bairros, nem que seja pela “baldeação facilitada” (os ônibus circulares custam mais barato do que os convencionais). Dentre as linhas que atendem diretamente o Santo Antônio estão a 4106 (São Cristóvão/Santo Antônio), 9103 (Santa Tereza/Santo Antônio) e 5102 (UFMG/Santo Antônio).

Praça Jofre Alves Pereira, Santo Antônio © Casa Mineira Praça Jofre Alves Pereira, Santo Antônio © Casa Mineira

Pontos de interesse no Santo Antônio

Transporte

Entretenimento

Serviços

Educação

Gostou? Nos ajude a compartilhar essa página com mais pessoas